terça-feira, 15 de novembro de 2011

Numa conversa hoje com uma amiga, descobri que estou apaixonada, fiquei um bocado em choque, pois à muito que não me acontecia. Sim, sim, apaixono-me cada vez mais pela minha familia, pelas coisas que gosto, pelos meus amigos, mas sobre um assunto chamado "homens" não acontece com frequência, até tenho medo quando isto acontece, medo da palavra, provoca-me confusão, arrepios e nós no estômago!
A verdade é esta, não sei se sou correspondida, aliás com ele nunca sei nada... Tenho medo de falar, de meter o pé na poça, de que esteja a gozar comigo, (o que não me agrada minimamente, pois furacão como sou. se o estiver mesmo a fazer, sou bem capaz de lhe por as canelas em sangue, faz parte da minha costela de guerreira proteger-me com violência) só sei que este sentimento me consome a cada dia que passa. Gostava de me libertar, mas não sei se quero, porque no fundo, este "estado de graça" é divertido e inspira-me positivamente mas o que é certo é que estou a ficar paranóica com a palavra "apaixonada" é demasiado forte para se lidar, esta deriva de paixão, paixão pode gerar amor, uma miscelânea de sentimentos em torno de uma pessoa só, demasiado confuso para uma pessoa só. 
Contudo gostava que gerasse tudo aquilo que disse em cima, era sinal que afinal era correspondida, mas "a vida não é fácil, e se o fosse, não teria metade da graça", todavia, acho que neste assunto tudo poderia ser diferente, poderia ser 'médio-dífícil'.

2 comentários:

...Ju... disse...

oh mulher... sse estás apaixonada sossega a guerreira que há em ti, porque a violência no namoro não é coisa boa nem bonita :P
mas esclarece tudo bem logo à partida antes que sofras!

Martalicious disse...

Vou ter calma então :)